Jovem com síndrome de Down é morto por policiais na Suécia

Eric Torell carregava uma arma de brinquedo e, segundo a família, não conseguia se comunicar verbalmente por causa do distúrbio

Um jovem de 20 anos com síndrome de Down foi morto a tiros pela polícia enquanto carregava uma arma de brinquedo na cidade de Estocolmo, na Suécia, informou na sexta (3/8) a emissora CNN.

Eric Torell foi diagnosticado com autismo e síndrome de Down e era incapaz de se comunicar verbalmente, segundo a mãe, Katarina Söderberg. A família do jovem afirma que ele tinha fugido de casa, algo que já havia feito antes.

Na hora dos disparos, o menino carregava consigo uma arma de brinquedo de plástico que “parecia um pouco com uma submetralhadora” e foi dada a ele como um presente, disse a mãe.

A polícia recebeu relatos de uma pessoa armada no distrito de Vasastan na madrugada de ontem. Ao chegar no local, eles gritaram para Torell “abaixar a arma e deitar no chão” e, depois, disparos foram ouvidos, segundo testemunhas.

Torell foi levado para o hospital, mas não resistiu. Quando Katarina foi notificada sobre a morte do filho, acreditou tratar-se de um engano. “Eu não conseguia entender que era verdade, ainda não consigo acreditar que é verdade”, disse a repórteres enquanto mostrava as fotos do jovem.

Ela afirma que ainda se questiona por que os policiais optaram por atirar para matar, e não apenas miraram a perna do jovem para fazê-lo largar a arma.

“Mesmo se ele tivesse cometido um erro, mesmo que ele tenha saído de casa com uma pistola falsa, uma arma de brinquedo, eles precisavam matá-lo por causa disso? Estava dia lá fora”, disse sua mãe. “É possível ver uma milha de distância que ele tem síndrome de Down. Um ‘homem ameaçador’? Ele é como um menino de três anos.”

Fonte: VEJA

Comentarios