Fiocruz da Amazônia desenvolve armadilha para combater proliferação das larvas do Aedes aegypti

Pesquisa foi baseado em um projeto científico japonês de 2009, que apontava que o mosquito era capaz de carregar o larvicida para outros lugares

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia desenvolveram uma espécie de armadilha para o mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika e chikugunya. As chamadas Estações Disseminadoras de Larvicidas são compostas por um pote com água, coberto por um pano preto e com um produto químico na superfície.

Chamada pelos pesquisadores de “armadilha”, o item faz com que o mosquito pouse para tentar colocar os ovos, e ao tocar o pano, entra em contato com o larvicida. A boa notícia é que partir daí, ao ir para outros criadouros, o inseto leva o veneno consigo e contamina as larvas que estiverem no local. Dessa forma, se reduz a proliferação do Aedes aegypti.

 

Comentarios