Decisão de reabertura econômica vale apenas para Manaus, diz governador

De acordo com Wilson Lima, nos municípios do interior a decisão sobre uma eventual flexibilização do isolamento ficará a cargo dos prefeitos. ─ Foto: Euzivaldo Queiroz

A decisão a respeito da retomada das atividades econômicas vale apenas para a cidade de Manaus, segundo o governador Wilson Lima. De acordo com ele, nos municípios do interior, a flexibilização do isolamento ficará a cargo dos prefeitos. Veja o calendário completo da retomada das atividades em Manaus.

De acordo com Wilson Lima, no interior ainda há uma constante crescente no número de casos confirmados. Nos dados mais atuais sobre o coronavírus no Amazonas, os casos no interior correspondem a 55% do total no Estado. “É o prefeito que está acompanhando ali no dia a dia, ele tem uma visão muito mais apurada da dinâmica social da sua localidade”, destacou Wilson Lima. No caso de Manaus, ele afirmou que caso haja um novo crescimento de casos, a retomada das atividades pode ser revista.

No interior do Estado, há municípios onde foi efetivado, por decreto municipal, o bloqueio total, também chamado de lockdown, como é o caso de Novo Airão e Barreirinha, por exemplo. O governador afirmou que é difícil tomar medidas mais restritivas no Amazonas. “É muito fácil tomar essa decisão (de um lockdown) na Finlândia, onde as pessoas vão obedecer. Tomar uma decisão dessa no Amazonas é totalmente diferente. Precisamos entender a realidade social, por isso os prefeitos que estão lá tem muito mais propriedade para fazer isso do que nossas equipes aqui da capital”, argumentou.

A secretária de Estado da Saúde, Simone Papaiz, afirmou que houve um reforço na estrutura de combate ao coronavírus no interior reduzir os impactos da doença. “Saímos de 80 UCIs (unidades de cuidados intermediários) para 110, com previsão de aumento desses leitos e do envio de mais equipamentos e respiradores para o interior”, destacou a secretária. As UCIs ficam nos municípios polo, os maiores das calhas dos rios, e tratam pacientes que necessitam de maiores cuidados mas sem necessidade de uma UTI. De acordo com o governador, hoje há seis UTIs aéreas estruturadas para transportar pacientes do interior para Manaus em caso de necessidade.

FONTE: ACRÍTICA

Comentarios