Brumadinho: 9 mortos, 46 resgatados e 299 desaparecidos até o momento

A barragem Mina Feijão, em Minas Gerais, rompeu-se por volta das 13h dessa sexta (25/1). | Foto: Fernando Moreno/Futura Press/Estadão Conteúdo

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais divulgou na tarde desde sábado (26/1) o último balanço de vítimas após o rompimento da barragem em Brumadinho (MG). De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros de MG, coronel Leão as buscas por vítimas estão concentradas em quatro pontos: um ônibus de funcionários encontrado soterrado, uma locomotiva, um prédio e a comunidade Parque da Cachoeira.

Segundo boletim das forças integradas de segurança, formadas por Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesa Civil, dos 345 desaparecidos, 46 foram encontrados. A corporação procura ainda 299 pessoas. O grupo confirma ainda nove vitimas fatais e três corpos foram identificadas. O único nome divulgado foi a da médica Marcelle Porto Cangussu. Ainda de acordo com o levantamento, 86 famílias  da comunidade de Brumadinho estão cadastradas no banco de contatos do governo em busca de parentes.

A Vale atualizou na manhã deste sábado (26/1) a lista de funcionários sem contato no site da empresa. O número estava em 412. Além do documento, a Vale disponibilizou um telefone para que as pessoas possam ligar e se identificar, caso estejam fora de perigo, mas o nome delas esteja na relação. O telefone é o 0800 821 500.

Em entrevista coletiva na noite dessa sexta-feira (25), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), afirmou que vai ser difícil encontrar pessoas vivas. “Muito provavelmente iremos resgatar a partir de agora somente corpos”, disse.

O Corpo de Bombeiros montou a operação nas proximidades de um campo de futebol. O local está sendo utilizado como área de avaliação e triagem de vítimas para atendimento médico. Quase 100 bombeiros foram deslocados para a região e o efetivo será dobrado neste sábado (26). Seis aeronaves da corporação estão envolvidas nos resgates.

POR METRÓPOLES

Comentarios