Wilker Barreto denuncia demissão de 580 trabalhadores da SUSAM

Dep. Wilker Barreto (Podemos)

A iminente demissão de 580 servidores da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), sendo 230 que estão a serviço das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Prefeitura de Manaus, em Regime Especial Temporário (RET), foi denunciado pelo deputado Estadual Wilker Barreto (Podemos), na manhã desta quinta-feira (25), na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

De acordo com o parlamentar, conforme o Diário Oficial do Amazonas do dia 17 de abril, assinado pelo ex-secretário da Susam, vice-governador Carlos Almeida, os profissionais do RET, entre eles cirurgiões dentistas, auxiliar de enfermagem e de patologia, psicólogos, enfermeiros e agentes administrativos, serão exonerados a partir de 1º de junho, e não terão a vaga reposta pelos aprovados do concurso de 2014.

“Isso é muito preocupante. De fato o concurso público não assegura que as vagas serão repostas. Aqui em Manaus são 230 servidores que trabalham nas casinhas de saúde, cujo concurso da Susam se quer tem as mesmas especialidades. É um duro golpe na saúde de Manaus”, declarou.

Para Wilker Barreto, o governador Wilson Lima tenta repetir os atos administrativos errôneos do governador cassado José Melo. “O governo tenta fazer o mesmo que o José Melo tentou fazer em 2016, penalizar a cidade de Manaus. Foram convocados 774 concursados e não tem dinheiro para pagar. Agora demite quem trabalha há décadas na saúde do Amazonas. Esses 230 servidores municipalizados estão espalhados em mais de 20 unidades de saúde da capital”, alertou.

Comando de greve

Ainda na manhã desta quinta-feira, 25, o deputado Wilker Barreto recebeu os representantes do comando geral da greve dos professores, que ocorre desde 15 de março. A categoria reivindica 15% de reajuste salarial. Após reunião sem acordo com o governo do Estado, cuja proposta permanece em 3,93%, a classe veio à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para pontuar as principais reivindicações e fazer denúncias contra a gestão.

 “Recebi hoje os professores e estou atento a tudo que vem ocorrendo. Escutei todos os relatos dos professores, bem como reivindicações, e irei entrar com um requerimento na Casa para pedir a presença do secretário de educação, Luiz Castro, para explicar sobre o Fundeb e outras colocações desta classe. Afinal, eles relatam que estão sofrendo assédio moral por conta desta greve que é legítima e justa”, disse Barreto, ao lado do deputado Dermílson Chagas (PP), que juntos assinaram um termo de compromisso para contribuir com o diálogo entre legislativo e executivo.

Um mês sem líder

Foto: Alfran Leão

Ironizando o fato de o governador do Amazonas Wilson Lima (PSC) não definir o novo líder do Governo na Aleam, o deputado Wilker Barreto levou para a sessão desta quinta-feira, 25, um bolo para satirizar o “aniversário” de um mês sem a presença de um líder na Assembleia. No dia 28 de março, o então líder Carlinhos Bessa (PV) foi destituído pelo governador.

“Ninguém quer ser líder do desgoverno. Para nossa tristeza, da população, não temos quem possa falar pelo governo. Os professores estiveram aqui na Assembleia, e não tinha ninguém para encaminhar o pedido dos professores para o governador Wilson Lima”, lamentou Wilker.

 

Comentarios