Trânsito livre de motocicletas sem identificação em Tabatinga

Foto: Divulgação

Em Tabatinga (distante 1.105 km da capital), o trânsito de veículo sem placa e sem identificação facilita e fomenta registros de roubos, furtos, inclusive de outros veículos e homicídios. A cada dez registros de homicídios, nove são praticados com uso de motocicletas .

São aproximadamente vinte mil veículos que trafegam no perímetro urbano, muitos destes sem mínimas condições de trafegabilidade e segurança, além de serem conduzidos por menores, excesso de passageiros, e demais ações que potencializam riscos para acidentes, e criam a sensação no imaginário popular de que Tabatinga é “terra sem lei”.

A maioria dos veículos automotores que circulam na cidade é de duas rodas tipo motocicletas cujos reflexos alcançam não somente em evasão de receitas para os cofres tanto Estadual quanto Municipal, hoje estimado em 180 mil reais mensal, através do não pagamento de impostos obrigatórios, a exemplo do IPVA.

Essa situação também causa impactos no setor de saúde, notadamente setores de traumatologia dos hospitais da cidade, demanda por aeronaves fins transportar feridos no trânsito até hospitais da capital, onerando recursos e ocupando leitos plenamente evitáveis pela ação conjunta tanto do poder municipal, quanto do Estado através das ações conjuntas na fiscalização, educação para um trânsito mais seguro, através de sua plena municipalização.

Em virtude disso, o 8° BPM e órgãos da prefeitura como a Guarda Civil Municipal, Coordenadoria de Trânsito e Secretaria de Tributos realizam ação conjunta visando minimizar os problemas do trânsito livre e desordenado de veículos no município e trazer maior sensação de vigilância, fiscalização e segurança aos munícipes.

Comentarios