TikTok estará proibido nos Estados Unidos a partir de domingo

Ordem do governo norte-americano se estende também ao WeChat. ─ Foto: Unsplash/Kon Karampelas

Começa no domingo (20) a proibição de transações relacionadas ao TikTok e ao WeChat nos Estados Unidos. Isso significa que os aplicativos chineses não podem mais ser baixados ou atualizados no país.

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos, em resposta à Ordem Executiva assinada pelo do presidente Donald Trump ainda no mês passado, anunciou o embargo.

“Sob a orientação do presidente, tomamos medidas significativas para combater a coleta maliciosa de dados pessoais de cidadãos americanos pela China, ao mesmo tempo promovendo nossos valores nacionais, normas baseadas em regras democráticas e aplicação agressiva das leis e regulamentos dos EUA”, afirmou o secretário responsável pela pasta, Wilbur Ross.

O WeChat ainda fica proibido de transferir fundos ou processar pagamentos dentro dos EUA. Empresas americanas também ficam impedida de fornecer serviços como hospedagem na internet, distribuição de conteúdo ou serviço de peering, no caso do superapp de mensagens.

O documento do Departamento de Comércio afirma que “o Partido Comunista Chinês (PCC) demonstrou os meios e motivos para usar esses aplicativos para ameaçar a segurança nacional, a política externa e a economia dos EUA”. As proibições “protegem os usuários nos EUA, eliminando o acesso a esses aplicativos e reduzindo significativamente sua funcionalidade”.

O TikTok, por outro lado, ainda esperar finalizar a aquisição das operações na América pela Oracle. O Departamento de Comércio cita que Trump havia limitado até o dia 12 de novembro que a chinesa ByteDance concluísse a solução dos impasses e, assim, as proibições poderiam ser suspensas.

“Continuaremos desafiando a ordem executiva injusta, que foi promulgada sem o devido processo e ameaça privar o povo americano e as pequenas empresas em todos os EUA de uma plataforma significativa para voz e meios de subsistência”, respondeu o porta-voz do TikTok, Josh Gartner.

FONTE: O Dia

Comentarios