Tenista Peng Shuai faz aparição pública em torneio na China

(Foto: Reuters)

Desaparecida desde 11 de novembro, Peng Shuai, de 35 anos, aparentemente participou das finais de um torneio de tênis em Pequim, na China, neste domingo, 21. Em fotos oficiais, publicadas no WeChat do Fila Kids Junior Tennis Challenger, organizado pelo China Open, ela aparece vestindo um paletó azul escuro e uma calça branca. A Associação de Tênis Feminino (WTA, na sigla em inglês) não está convencida e considera imagens “insuficientes” para sanar preocupações sobre o paradeiro da ex-número 1 do mundo do ranking de duplas.

No início de novembro, em uma postagem na rede social Weibo, Peng acusou o ex-vice-primeiro-ministro da China, Zhang Gaoli, de 75 anos, de tê-la abusado sexualmente. A publicação foi deletada pouco tempo após ela expor o caso e, desde o dia 11, o paradeiro da atleta é um mistério.

As fotos de Peng no torneio Fila também foram postadas no Twitter por Ding Li, um executivo sênior da Global D-Sports. Ele, que diz ser amigo de longa data da atleta, afirmou que o telefone dela está sempre ligado e que a WTA poderia simplesmente ligar para ela.

O presidente da WTA, Steve Simon, porém, disse, na semana passada, à revista Time que a organização tentou contatá-la por vários meios. Ding Li declarou que Peng não estava aceitando entrevistas da mídia estrangeira, pois recebeu muitas ligações depois de Simon supostamente ter enviado um e-mail, copiado para várias pessoas, com as informações de contato dela.

Quem também postou um vídeo da atleta no torneio foi o editor-chefe do The Global Times, um influente jornal do Partido ComunistaHu Xijin. As imagens deste domingo se somam a outras divulgadas por ele no sábado, 20, em que Peng supostamente comparece a um restaurante.

As imagens do sábado também foram postadas no Twitter. “O conteúdo dos vídeos mostra claramente que eles foram gravados no sábado, em Pequim”, escreveu ele, que disse ter “adquirido” os clipes, mas não explicou como.

Segundo o jornal The New York Times, no primeiro vídeo postado, em um restaurante, um homem, supostamente o treinador de Peng, discute planos com ela e pergunta: “Não é amanhã, 20 de novembro?”. Uma mulher sentada ao lado dela, então, o corrige e diz que será dia 21 de novembro. Ele então repete a data duas vezes.

No segundo vídeo, uma mulher usando máscara, provavelmente Peng, é mostrada entrando em um restaurante. A câmera faz uma pausa em uma placa que indica a data da última limpeza – algo comum em prédios chineses desde o início da pandemia. Porém, apenas o mês de novembro é visível na sinalização, a data está obscurecida.

No sábado, Hu Xinjin havia informado que a atleta faria uma aparição pública em breve. “Nos últimos dias, ela ficou em sua própria casa livremente e não queria ser incomodada”, escreveu no Twitter.

Logo após a divulgação dos vídeos no sábado, a WTA se posicionou dizendo que elas não são suficientes para esclarecer a real situação de Peng. A organização ameaça retirar torneios da China no próximo ano. “Nosso relacionamento com a China está numa encruzilhada”, indica a nota.

“Estou feliz em ver os vídeos divulgados pela mídia estatal da China que parecem mostrar Peng Shuai em um restaurante em Pequim”, diz o texto assinado por Simon. “Embora seja positivo vê-la, não está claro se ela está em liberdade e é capaz de tomar decisões e agir por conta própria, sem coerção ou interferência externa. O vídeo sozinho é insuficiente.”

As imagens e declarações se dão após a Organização das Nações Unidas (ONU) pedir à China provas e explicações sobre o estado de saúde da Peng, e da veiculação de um e-mail polêmico atribuído a ela.

No início desta semana, o canal estatal chinês CGTN divulgou uma mensagem eletrônica supostamente destinada a Simon e a outros dirigentes da WTA. No e-mail, Peng afirma que as acusações de abuso sexual “não eram verdadeiras” e que está “descansado em casa”. A mensagem eletrônica, no entanto, não acalmou a situação e provocou ainda mais dúvidas pela linguagem utilizada e pelo fato de que um cursor de edição aparecer no corpo do texto.

Além da pressão da ONU e da WTA, outros atletas têm pedido esclarecimentos sobre o paradeiro da colega de esporte, como a americana Serena Williams e o sérvio Novak Djokovic. A hashtag #WhereIsPengShuai (“Onde está Peng Shuai” em tradução livre) foi levantada no Twitter para jogar luz no assunto.

“Fui informada recentemente que uma amiga tenista desapareceu pouco depois de revelar que sofreu abuso sexual”, escreveu a tenista japonesa Naomi Osaka, no Twitter. “Espero que Peng Shuai e sua família estejam bem. Estou em choque com a situação atual e enviando amor e luz para ela.”

Entenda o caso

Peng está desaparecida desde que denunciou um caso de abuso sexual, cometido pelo o ex-vice-primeiro ministro, Zhang Gaoli, contra ela. Na denúncia, a atleta disse que a agressão ocorreu em 2018. Nos três anos seguintes, ambos viveram um caso extraconjugal descrito como “desagradável” pela jogadora. Na publicação, a tenista declarou que não poderia apresentar evidências que sustentassem sua afirmação, pois a relação era restrita.

fonte: Reuters e The New York Times

 

Comentarios