População ganha mais espaço, acessibilidade e maior segurança no novo plenário da Câmara

Fotos: Valdete Araújo

Após aproximadamente três meses de trabalho intenso, o plenário Adriano Jorge finalmente foi revitalizado e será reinaugurado nesta segunda-feira (10), às 9h, pelo presidente Joelson Silva (PSDB), durante a abertura dos trabalhos legislativos de 2020 na Câmara Municipal de Manaus. Além de mais seguro e de fácil acessibilidade, o local ficou mais humanizado e ganhou o espaço que não tinha, desde a inauguração do complexo, há 15 anos, principalmente no setor de galeria, onde a população ficará mais próxima dos vereadores e terá uma visão geral de tudo o que acontece nas sessões plenárias.

A ação terá direito a descerramento de placa e faz parte do projeto de tornar a Câmara cada vez mais moderna e em condições de receber todos os públicos, desde os representantes de grandes instituições, às pessoas mais simples da sociedade em geral, em conformidade com o crescimento da cidade de Manaus.

“Realizamos uma obra em caráter de urgência, porque a casa já pedia isso. Foram intervenções necessárias que irão beneficiar várias gerações, a partir do serviço de excelência que temos nos esforçado para implantar aqui. Só tenho a agradecer o empenho de todos que, direta ou indiretamente, trabalharam para tornar o plenário Adriano Jorge a beleza que é hoje, sem dever nada a nenhum plenário do País”, destacou Joelson Silva.

Em síntese, a reforma abrangeu a instalação de duas abas, uma em cada lado do plenário, além da instalação de forro do tipo drywall (mais versátil e durável), para manter o ambiente sempre limpo e devidamente nivelado, preso à laje.

Outra mudança foi efetuada no piso, que era de madeira e ganhou cerâmica e carpetes de nylon antialérgicos, anti-fungos e anti-chamas.

O novo plenário recebeu, ainda, a instalação de novas luminárias, embutidas em forro acartonado, com lâmpadas de led, além de pintura e instalação de placas acústicas sonex nas paredes e forro, para isolamento térmico e acústico.

Simultaneamente às obras no Adriano Jorge, a CMM recorreu ao auditório Zany dos Reis para realizar as sessões plenárias, que ocorreram do dia 25 de novembro até o fim do ano legislativo, em dezembro.

Com a revitalização, o miniauditório, que é acoplado ao Memorial Carlos Zamith e onde funciona a sala de cinema Silvino Santos, também está em fase de reforma, mas ainda não será entregue neste momento. No local está prevista a instalação de uma cabine de som e a troca de piso, forro e iluminação. O palco também será rebaixado para uma melhor visualização das reuniões e apresentações.

Visão geral
Autor do projeto de reforma, o arquiteto e urbanista de design interior, Edilson Fernandes de Oliveira, 55, informou que, para ganhar uma visão geral do plenário, a galeria da CMM ganhou dois mezaninos, propiciando melhor aproveitamento do espaço aéreo e do piso. Com a mudança, o número de vagas subiu de 150 para aproximadamente 200, e o reflexo desse aumento pode ser notado do lado esquerdo do plenário, cujo acréscimo foi de 22 metros quadrados.

Tecnicamente chamada de peitoril, a parte de proteção da galeria foi rebaixada para obtenção de uma visibilidade maior, tanto dos parlamentares quanto da própria mesa diretora, alterando, assim, o comprimento vertical dos vidros incolores. Cada vidro é composto de espessura adequada e elevada, com dez milímetros, superiores aos anteriores, que eram de oito milímetros.

A sensação e a garantia de maior segurança jamais vista no local, também podem ser notadas no guarda-corpo de aço inox, que foi fixado no concreto da galeria.

“Além de possibilitar que o povo tenha uma panorâmica do plenário, esse ganho de espaço traz maior visibilidade em relação aos vereadores, e maior segurança para eles também”, justificou Edilson.

Com a reforma, que começou em 14 de novembro do ano passado, também houve melhorias em outros setores da Câmara, como o banheiro que atende às pessoas com deficiência, com o aumento de acessibilidade e um novo piso, adequado para melhor locomoção.

“Trocamos também o guarda-corpo e o corrimão das escadas, bem como as bases e patamares das escadas em granito. As áreas de apoio do plenário foram repaginadas com porcelanato de alta resistência, e os quatro banheiros foram todos reformados”, informou o arquiteto.

Escadas
Para evitar os pequenos incidentes e acidentes que ocorriam com frequência, algumas modificações também precisaram ser feitas no espaço dentro do plenário. Entre as mesas dos vereadores, por exemplo, o aumento de espaço irá permitir uma circulação melhor das pessoas. As bases das escadas tiveram de ser alteradas, devido a variação do tamanho, com a construção de degraus maiores, o que possibilita maior percepção no momento de pisar no chão. Na mesma áreas foram colocadas, ainda, cantoneiras para sinalizar as bases dos degraus do piso do plenário, do espaço de circulação.

Piso e paredes foram revestidos com carpete anti-mofo, de alta qualidade comercial e película de resistência para segurar o volume de peso.

Som
A revitalização foi estendida ao sistema de som do plenário, com a instalação de um painel difusor acústico na mesa da presidência, cuja função propicia qualidade no áudio, tanto de forma estética quanto acústica.

As placas de sonex acústicas receberam nova paginação (pintura especial) em mosaico, e todos os equipamentos de som foram substituídos por mais modernos. Entre as novidades está a presença de duas torres e dois subwoofer, com alto-falante responsáveis por sons mais graves.

A sala de controle do som saiu do piso inferior para a área da galeria, mais precisamente do lado esquerdo, com ampla visibilidade de quem está no plenário. São 24 metros quadrados, contra seis metros quadrados da sala anterior, que passa a funcionar como local de apoio e atendimento ao cidadão.

Bancadas
O novo painel eletrônico da CMM continua no mesmo lugar e sem alterações, mas ficou acoplado a um novo cenário, composto por material amadeirado em MDF. As 41 bancadas estão com revestimento em película amadeirada. Todas foram revitalizadas com adesivo amadeirado e “verniz pu” nos tampos, que é feito à base de resina acrílica e dá maior resistência aos móveis.

Mais reforma
Os espaços de circulação de pessoas tanto por trás quanto pela frente do plenário permanece o mesmo, porém, houve melhoria no piso, que passou a ser de porcelanato antiderrapante, com guarda-corpo por todo o perímetro, em especial para os deficientes, o que antes não havia.

“A iluminação continua em led, mas precisou ser toda trocada. A carga passou de 50 para 100 volts, aumentando a qualidade e a claridade do plenário. Também foram tiradas do teto, as grelhas de ventilação dos ar-condicionados, para melhor estética. Elas tomavam espaço e não tinham mais utilidade”, disse o arquiteto Edilson Fernandes.

 

Comentarios