Polícia Civil prende agricultor que abusava sexualmente do próprio sobrinho em Parintins

O caso envolve outras vítimas, todas do sexo masculino © Divulgação/PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Parintins, sob o comando da delegada Alessandra Trigueiro, titular da unidade policial, cumpriu na manhã desta sexta-feira (08/06), às 7h30, mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável em nome de um agricultor de 27 anos, denunciado por ter abusado sexualmente do próprio sobrinho, um adolescente de 15 anos.

De acordo com a autoridade policial, as investigações em torno do caso foram iniciadas há aproximadamente 15 dias, após a equipe da especializada receber delações anônimas, feitas ao número 100, o Disque-Denúncia Direitos Humanos, informando que um indivíduo estaria abusando sexualmente de crianças na Vila Amazônia, situada na zona rural daquele município, distante 369 quilômetros em linha reta da capital.

“Na delegacia foi instaurado um Inquérito Policial (IP) para investigar o caso. Ao longo das diligências conseguimos chegar até o adolescente de 15 anos. A vítima nos revelou, em termo de declaração, que os abusos começaram quando ele tinha seis anos e continuaram até que ele completasse 12 anos. O autor atraía a atenção do sobrinho oferecendo alguns presentes, como sandália e material escolar. Em seguida a vítima era obrigada a praticar atos libidinosos com o agricultor. Em decorrência dessa situação, representei o pedido de prisão preventiva em nome do infrator”, explicou a titular da DEP.

O mandado de prisão preventiva em nome do infrator foi expedido no dia 7 de junho deste ano, pelo juiz Saulo Góes Pinto, da 2ª Vara da Comarca de Parintins. Após a expedição da ordem judicial, a equipe da DEP de Parintins se deslocou até a casa do agricultor, situada na Vila Amazônia, onde ele foi preso.

“Iremos ouvir, ao longo do andamento do IP, outras seis pessoas do sexo masculino, entre crianças e adolescentes, na faixa etária de seis a 12 anos, a fim de esclarecermos se elas também foram vítimas do agricultor. Identificamos que algumas dessas pessoas são parentes do infrator. Em razão disso, as investigações em torno do caso irão continuar”, pontuou a delegada.

O infrator foi indiciado por estupro de vulnerável. Ele ficará custodiado na carceragem da DEP de Parintins, à disposição da Justiça.

Comentarios