Herói injustiçado será homenageado na nota de 50 libras na Inglaterra

Matemático foi um pioneiro da ciência da computação e decifrou código dos países do Eixo durante a Segunda Guerra; em 1952, foi condenado por ser gay e teve que passar por um procedimento de castração química.

O rosto de Alan Turing, inglês pioneiro da computação e decifrador de códigos, vai aparecer na nova nota de 50 libras do Banco da Inglaterra.

É uma homenagem pelo trabalho que ele executou durante a Segunda Guerra, quando conseguiu descobrir a lógica da criptografia dos inimigos e deu uma ajuda vital aos Aliados, que derrotaram os países do Eixo.
Ele foi escolhido de uma lista de quase mil candidatos.

Depois de ajudar seu país a vencer uma guerra, Turing foi perseguido pela sua homossexualidade.

O matemático foi demitido e condenado a ser castrado quimicamente depois de uma condenação por “atividade homossexual” em 1952. Em 2013, ele recebeu um perdão póstumo.

A nota de 50 libras será a última da coleção do Banco da Inglaterra a mudar de papel para polímero.

“Alan Turing era um matemático excepcional, cujo trabalho tem um impacto enorme na forma como vivemos hoje”, afirmou Mark Carney, líder do Banco da Inglaterra.

“Como o pai da ciência da computação e da inteligência artificial e também como um herói de guerra, as contribuições de Turing foram amplas e abriram caminhos. Turing é um gigante em cujos ombros nós nos apoiamos”, disse Carney –ele empregou uma metáfora que descreve o trabalho inicial de cientistas que levaram a novas descobertas.

Por G1

 

Comentarios