Funcionários dos Correios do Amazonas entram em greve

Categoria pede reajuste salarial com reposição da inflação e é contra a privatização da empresa.

Os funcionários dos Correios do Amazonas entraram em greve geral por tempo indeterminado em conjunto a outros 36 sindicatos do país. A greve foi decretada na noite desta terça-feira (10) em assembleias realizadas em diferentes estados do país. A categoria reivindica reajuste salarial com reposição da inflação.

Os trabalhadores também contestam a retirada de pais e mães do plano de saúde, melhores condições de trabalho e outros benefícios.Além de serem contra a privatização dos correios, por meio da medida anunciada pelo governo federal que faz parte do conjunto de privatizações.

Segundo Luís Ribeiro, presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Correio e Telégrafo (Sintect), a greve no Amazonas foi anunciada em edital de convocação, e por se tratar de um movimento nacional, a entrega de encomendas e cartas será afetada. “Os principais centros de distribuição como São Paulo e Rio de Janeiro também estão de braços cruzados, portanto, infelizmente o fluxo de entregas no Amazonas não está normalizado. Deflagrar a greve foi uma necessidade inevitável”, afirma Ribeiro.

Ribeiro ainda informa que em agosto, o tribunal Superior do Trabalho (TST) prorrogou os termos do atual acordo coletivo de trabalho da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) por mais 30 dias a partir de (1) de setembro. “Em igual período, haveria a manutenção do plano de saúde para os pais dos empregados que se encontram em tratamento e dos atendimentos de urgência e de emergência. E não queremos que esse direito, assim como outros sejam tirados dos trabalhadores”.

O que dizem os Correios?

Os correios informam, em nota, que colocou em prática um Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas.

E segundo levantamento parcial realizado na manhã desta quarta-feira (11) mostra que 82% do efetivo total dos Correios no Brasil está trabalhando regularmente. No Amazonas, 92,29% dos empregados estão trabalhando normalmente.

Por EM TEMPO

 

Comentarios