Fim da “novela”: Neymar fica mais uma temporada no PSG

Com uma expressão sorridente, Neymar participou do treino na última quinta-feira, 29 de agosto, no campo de treinamento do PSG em Saint-Germain-en-Laye, a oeste de Paris. | Foto: Charles Platiau / Reuters

Após uma “novela” que parecia não ter fim, Neymar continuará, pelo menos por mais uma temporada, atuando pelo Paris Saint-Germain (PSG).

Fanático torcedor do PSG desde a infância, Anthony Pereira lembra da primeira vez que o brasileiro colocou os pés no Parque dos Príncipes. A cena da torcida cantando a melodia da música “Aquarela do Brasil”, adaptando o refrão com o nome de Neymar, rodou o mundo. Naquele dia, o craque brasileiro afirmou que “estava vivendo um grande sonho” e garantiu que iria “fazer história”.

Dois anos depois, após duas eliminações na Liga dos Campões, a decepção e a frustração da torcida não poderiam ser maiores.

“Nós nunca tivemos a impressão de ver Neymar feliz no PSG. Paris arrancou ele (sic) do Barcelona pagando a cláusula rescisória. Acho que, naquele momento, Neymar queria vir a Paris, mas nós nunca o vimos totalmente realizado. Nós nunca sentimos nascer uma cumplicidade verdadeira entre ele e os torcedores. Desde o começo, eu senti que ele não marcaria a história do clube, pelo que ele faz e pelo que ele é”, afirma Anthony.

“Ficou devendo muito futebol”

O jornalista Dominique Severac, do diário Le Parisien, também acredita que o brasileiro ficou devendo muito futebol.

“É complicado falar em fiasco, mas podemos pelo menos dizer que foi um fracasso. Não tivemos o Neymar do Barcelona, nem com relação à qualidade técnica, nem em termos de tempo de jogo, já que ele se machucou duas vezes, nos momentos mais importantes da temporada. Ele não jogou a partida de volta das oitavas de final da Champions contra o Real Madrid. Também estava ausente em duas partidas contra o Manchester United na segunda temporada”, lembra Severac. “Só tivemos Neymar em alto nível em partidas sem tanta importância como contra o Marseille, Dijon ou Saint-Etienne. Paris esperava ir mais longe na Liga dos Campões com um jogador que faz a diferença, como durante a virada sobre o PSG em março de 2017. Esse Neymar, o PSG nunca viu”, analisa.

A vontade de Neymar sair do clube ficou mais nítida após a chegada de Leonardo como diretor esportivo. Após a última eliminação na Champions, os proprietários do time deixaram clara a intenção de acabar com os privilégios de alguns jogadores.

“As mudanças operadas por Leonardo, com o aval do presidente do PSG, terão que ser respeitadas por Neymar. Ele precisa entender que o mais importante agora é o clube e não mais os jogadores. Ele terá que ser mais discreto. Se ele continuar aparecendo em mesas de pôquer, em baladas, será algo mal interpretado. A ideia agora é que todos respeitem o PSG, todos os jogadores já entenderam isso. Se Neymar continuar a querer ser mais realista que o rei, verá sua imagem cada vez mais deteriorada na opinião pública francesa”, avisa o jornalista.

Promessa é dívida

No entanto, outro torcedor ouvido pela reportagem, que responde apenas pelo apelido Cam, lembra que é complicado mudar de discurso no meio do caminho.

“Se eu fosse o Neymar, eu falaria para o Leonardo que a nova política do clube não se encaixa com o que foi prometido há dois anos. Em 2017, o PSG sabia que o Campeonato Francês era menos atrativo que o espanhol e prometeram dar vários privilégios a Neymar para convencê-lo. Eu posso entender que o Neymar possa dizer ‘não, isso não é o que me foi prometido’. Um jogador como Neymar, se ele aceitou jogar em Paris, não foi para ficar ouvindo que ele tem que ser igual aos outros jogadores. Ele quer ser a estrela e foi isso o que combinado, na hora em que o contrato foi assinado”, opina o torcedor.

Fim de relacionamento

Uma coisa é certa, o amor inicial da torcida na chegada do jogador à capital francesa dificilmente irá voltar.

“Nossa relação com ele, vai ser como a de um casal que não se entende e fica junto pelo bem da criança. Isso significa que até suportaríamos a presença dele, mas sem nunca torcer por ele”, avisa Anthony.

“Alguns jogadores nunca ganharam nada com o PSG, mas marcaram o clube pela mentalidade, pela forma de ser, jogando muito menos que o Neymar. Neymar é talvez o melhor jogador que já tivemos no PSG, mesmo se para mim ele é tão bom quanto o Ronaldinho Gaúcho, mas é impossível comparar os dois na forma como ficaram marcados na história do clube. Para conquistar o coração do torcedor, não basta ser craque. Jogadores como o Pauleta, o Raí, atualmente o Cavani e o Marquinhos, esses sim estão no coração dos torcedores. Já o Neymar, não passa de um mercenário. Ele é tudo aquilo que quem é apaixonado por futebol gosta de ver, mas é tudo o que um torcedor detesta pelo que ele faz e pelo o que ele representa”, conclui o torcerdor.

O jornalista Dominique Severac acredita que os torcedores teriam que ser mais clementes com Neymar.

“É complicado se colocar na pele do torcedor que vive isso com paixão, com um comportamento irracional. Eles xingaram o Neymar durante a primeira partida do PSG contra o Nimes. É complicado. Minha opinião é que eles têm um gênio da bola na mão. Quando ele está bem fisicamente, com a cabeça no lugar, Neymar é um craque. Jogadores assim, eu vi poucos com meus próprios olhos. Ainda menos no Campeonato Francês. Alguns tiveram passagem pelo PSG, mas foram poucos. Por isso, eu acho que os torcedores teriam que perceber a sorte que é de ter um Neymar e de aproveitar desse jogador fora de série.”

Agora que a permanência no clube é certa, Neymar com certeza voltará a ter um bom relacionamento com a torcida. Para isso, basta conseguir a “fácil” tarefa de conquistar uma Liga dos Campeões para o clube. Boa sorte Neymar!

Por RFI

 

Comentarios