Brigadas são destacadas no dia D de Combate ao Aedes aegypti

© Divulgação/Susam

O trabalho preventivo das brigadas escolares e a participação de instituições públicas e privadas foram destacados na programação do Dia D contra o Aedes aegypti, que marcou, nesta sexta-feira (30/11), a abertura oficial, no Amazonas, da Campanha Nacional de Combate ao mosquito, no Centro de Educação de Tempo Integral Eliza Bessa Freire, no Jorge Teixeira, zona norte. As 28 escolas que apresentaram excelentes resultados no combate ao mosquito este ano e várias instituições foram homenageadas no evento realizado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), órgão da Secretaria de Estado da Saúde (Susam). Também houve programação simultaneamente em 45 cidades do interior que tem a presença do mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus.

“Gostaria de agradecer às secretarias de Estado (Seduc) e Municipal de Educação (Semed), pois a parceria com as escolas tem sido essencial e está nos ajudando a fazer a diferença, pois conseguimos reduzir bastante os índices de infestação pelo Aedes Aegypti. A Saúde agradece o empenho dos gestores, professores e alunos que foram verdadeiros mobilizadores sociais na multiplicação das medidas preventivas”, parabenizou o diretor da FVS Bernardino Albuquerque.

A campanha do Dia D é nacional e nesta edição escolheu o slogan “O perigo é para todos. O combate também. Faça sua parte”.  Segundo o diretor-presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque, a finalidade da campanha é fortalecer junto à sociedade as ações de combate ao Aedes aegypti. Com ações simples podemos combater o mosquito e juntos somos mais forte, cada um fazendo a sua parte em casa, na escola, ou no trabalho”, alertou Bernardino.

© Divulgação/Susam

O diretor da FVS também fez a entrega do selo verde para instituições públicas e privadas que se destacaram em 2018. “São instituições que participam nas estratégias, pesquisas e inovação, por isso, foram determinantes para os bons resultados na redução dos casos e o selo fortalece ainda mais a parceria para novos projetos”, avaliou.

A diretora técnica da FVS, Rosemary Costa Pinto, fez um convite à sociedade para participar da campanha. “Todos podem ser um brigadistas contra esse pequeno inseto que causa muito estrago na vida da pessoa. Para combater, basta não deixar nascer o mosquito e isso acontece pela eliminação dos depósitos de água, uma vez por semana”, disse Rosemary, ao ressaltar que as doenças transmitidas pelo Aedes  podem causar sequelas irreversíveis e até levar a morte.

Fernanda Oliveira, 15 anos, moradora do bairro de Jorge Teixeira e aluna do nono ano do CETI Elisa Bessa Freire, disse que vai ficar mais vigilante, já que o bairro Jorge Teixeira figura no mapa como área endêmica. “Eu até sabia do perigo, mas depois de ver no mapa meu bairro e a adjacência na cor vermelha, eu senti que preciso fazer mais, até porque agora com as chuvas o cenário pode piorar se a gente não armazenar o lixo de forma adequada, colocar a tela de proteção nas caixas d’água e principalmente, não deixar água parada’’, comentou Fernanda  em um vídeo que fez para uma mídia social.

Programação no interior – De 03 a 07 de dezembro as Secretarias Municipais de Saúde de todas cidades com presença do Aedes aegypti seguem com intensa programação de educação em saúde, para despertar na população o compromisso de combater esse mosquito.

Resultados positivos  –  O Boletim Epidemiológico de Monitoramento de Doenças Transmitidas por Aedes aegypti apresenta redução 68% de casos notificados de febre chikungunya, de janeiro a outubro deste ano, comparado ao mesmo período em 2017 – foram 170 casos em 2018, contra 548 notificações no ano passado. A dengue reduziu 42%, com 4.379 casos notificados em 2018 e 7.575 em 2017. O zika vírus teve redução de 32%, em 2018, quando foram notificados 446 casos, contra 657 em 2017.

Comentarios

COMPARTILHAR