Após desistência de Renan, Alcolumbre é eleito presidente do Senado

Senador do Amapá liderou campanha para evitar retorno do alagoano ao comando do Congresso Nacional e conquistou 42 votos. | Foto: Michael Melo/Metrópoles

Representante da “onda anti-Renan”, o senador David Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito neste sábado (2/2) o novo presidente do Senado Federal e, automaticamente, comandante do Congresso Nacional. O resultado ocorreu após Renan Calheiros (MDB-AL) retirar a própria candidatura do pleito.

Sem o ex-presidente da Casa na corrida, a candidatura de Alcolumbre ficou fortalecida. Ele integrava o grupo de congressistas de diferentes linhas ideológicas, mas que se uniram contra o retorno do alagoano ao comando da Casa. Calheiros é identificado como “velha política”.

Alcolumbre também aumentou o seu cacife com a declaração do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), de que votaria no democrata. Somado a isso, os senadores do PSDB também declararam voto aberto no parlamentar do Amapá.

Com uma eleição conturbada, o democrata recebeu 42 votos. Embora Renan tenha retirado a candidatura, outros nomes como Esperidião Amin (PP-SC), Ângelo Coronel (PSD-BA), Reguffe (sem-partido-DF), e Fernando Collor (PTC-AL) permaneceram na disputa. Eles receberam, respectivamente, 13, 8, 6 e 3 votos.

Histórico

Natural de Macapá, David Samuel Alcolumbre Tobelem foi eleito senador pelo Amapá em 2014 com 131.695 votos. Favorito do ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), com quem tem uma relação de amizade, Alcolumbre contou com o apoio velado do núcleo político do Palácio do Planalto. Seu partido conta com dois ministérios: o da Agricultura, com a deputada Tereza Cristina (DEM-MS), e o da Saúde, com o deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS). Antes de ser senador, foi vereador em Macapá e deputado federal pelo Amapá.

Por METRÓPOLES

Comentarios