Alunos da Educação Especial visitam zoológico de Manaus

Foto: Eliton Santos

Como parte da Semana Municipal em alusão ao Autismo da Prefeitura de Manaus, alunos da Escola Municipal de Educação Especial (Cmee) André Vidal de Araújo, no Parque Dez, zona Centro-sul, visitaram na manhã desta quarta-feira, 3/4, o zoológico do Exército Brasileiro, Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), no bairro São Jorge, zona Oeste.

Aproximadamente 50 alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da 1ª e 2ª fase fizeram parte da atividade, onde conheceram um pouco dos animais que fazem parte da floresta amazônica.

Durante essa semana, os alunos da unidade estarão participando de atividades alusivas ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, 2/4, com recreações na parte externa da escola com circuitos, piscina e sala de jogos virtuais. O encerramento será na sexta-feira, 5/4, pela manhã com culto ecumênico, e, a partir das 11h, uma feijoada com o tema: ‘Por um mundo mais azul’.

A unidade de ensino atende a aproximadamente 500 alunos do Ensino Fundamental (2º ao 5º ano) e Educação de Jovens e Adultos (EJA) 1º segmento com 1ª e 2ª fase com vários tipos de deficiência.

Essa não é a primeira vez que os alunos do Cmee André Vidal participam desse tipo de atividade. “A nossa preocupação é tirar os alunos do ambiente escolar e mostrar algo diferenciado. Nessa atividade, eles estão participando diretamente daquilo que aprenderam na sala de aula e o aprendizado acontece com um significado maior e menos cansativo”, explicou a pedagoga da unidade, Elisangela de Souza.

Os pais e responsáveis também participaram da atividade junto com os filhos. A dona de casa, Luzileide Silva, mãe do Davi Menezes da Silva, 14, do 3º ano, acha que as atividades que a Secretaria Municipal de Educação (Semed) desenvolve com os alunos da Educação Especial é de extrema importância para as crianças e também para os pais.

“Esse é o primeiro ano do meu filho na escola e eu já consigo observar a mudança no comportamento e desempenho dele. Eu também mudei bastante, antes eu prendia, tinha medo que algo acontecesse e com isso criei uma barreira, mas agora eu vejo a importância de incluir meu filho nessas atividades. Eu só tenho elogios para a direção da escola e para a Semed, que mudou tanto o comportamento dele quanto o meu”, comentou a mãe emocionada.

A aluna, Gabrielle Marins, diagnosticada com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), 22 anos, gostou bastante do passeio, mas foi a onça que chamou mais a atenção dela. “Eu gosto muito da onça, acho bonita e grande. Gostei também dos macaquinhos”, comentou.

 

Comentarios