Waiãpi diz que é vítima de fraude e assassinato de reputação

Deputado alega perseguição política.

Na quarta-feira (19), o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) anulou o mandato da deputada Silvia Waiãpi (PL-AP) por suposto mau uso de verbas públicas. No entanto, ela não perde seu cargo imediatamente, pois o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda deve analisar o caso. Em entrevista a uma emissora de TV, a parlamentar disse que o caso trata de um “assassinato de reputações desenfreado”. E completou: “Esses são ataques misóginos. Muitos se perguntam como essa ‘índia’ ousa estar entre nós”.

Sobre a denúncia do Ministério Público que a acusa de usar o fundo especial de financiamento de campanha para procedimento estético, a deputada argumentou que é vítima de uma fraude: “A pessoa que pegou esse recibo, ela foi até a clinica do dentista em meu nome e ela já não trabalhava mais pra mim. O depósito feito na conta desse dentista não foi feito por mim. Foi feito por ela, da conta dela, do CNPJ dela para o CNPJ dele”, disse Silvia.

Silvia Waiãpi disse ainda que não fez nenhum procedimento, apenas gravou um vídeo ao lado do dentista. “Eu fui levada por ela [pela ex-assessora] para gravar um vídeo com esse dentista porque ele já havia sido candidato a vereador, a deputado estadual. Ele teria um know-how político e poderia, diante dos seus seguidores, diante do seu eleitorado, me apoiar”, disse a deputada.