Vídeo que prova crime de Neymar estava em aparelho roubado, afirma Najila Trindade

Modelo não soube responder ã polícia se teria armazenado a íntegra do vídeo em outro lugar.

A modelo Najila Trindade Mendes de Souza, que acusa o jogador Neymar de estupro, prestou depoimento na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Paulo. Ela afirmou à delegada Juliana Lopes Bussacos que não poderia entregar o vídeo na íntegra do segundo encontro com o atleta em Paris, pois o tablet onde estava o conteúdo foi roubado.

Os esclarecimentos duraram mais de seis horas. Sobre o furto do aparelho, Najila afirmou que o apartamento onde estava foi arrombado e que sentiu falta de um relógio, do tablet e de uma quantia em dinheiro. Uma análise da polícia, no entanto, checou as impressões digitais no imóvel e concluiu que apenas a modelo e a empregada estiveram no local. Ao ser questionada porque não registrou o furto do equipamento, Najila disse que não tinha certeza de tudo que havia sido levado.

A modelo não soube responder quando foi perguntada pelos investigadores se a íntegra vídeo do encontro com Neymar não estaria armazenada em outro lugar. Sobre o suposto crime de estupro, Najila reafirmou que o jogador teria tido relações sexuais sem seu consentimento.

Próximo ao fim do depoimento, Najila passou mal, teve crises de choro e saiu carregada pelo advogado. A polícia de São Paulo deve ouvir Neymar nas próximas semanas. O atacante já prestou depoimento na Polícia Civil do Rio de Janeiro na última quinta-feira (6) sobre a acusação de ter vazado nas redes sociais fotos e vídeos íntimos de Najila.

Por AR+

 

Comentarios