Show de Bruce Springsteen em Nova York veta pessoas que tomaram vacina da AstraZeneca

(FOTO: Reprodução / Instagram)

Festejado como um dos símbolos da retomada das atividades culturais pós-covid-19, o show do astro do rock Bruce Springsteen, em Nova York, está causando polêmica em razão da decisão da produção do músico de proibir a entrada de espectadores que tomaram a vacina da AstraZeneca. A posição do staff de Springsteen se baseia no fato de o imunizante não ter recebido o aval oficial da FDA, a agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos.

Na página oficial do evento, os organizadores listam as exigências de segurança para os compradores do ingresso: “Os espectadores deverão estar totalmente vacinados com uma vacina aprovada pela FDA para comparecer ao ‘Springsteen On Broadway’ e devem apresentar comprovante de vacinação no momento da entrada no teatro com seu ingresso válido. ‘Totalmente vacinado’ significa que a data da apresentação que você estará participando deve ser: pelo menos 14 dias após sua segunda dose da vacina Pfizer-BioNtech ou Moderna COVID-19, ou pelo menos 14 dias após a sua dose única da vacina Janssen COVID-19 da Johnson & Johnson. A única exceção será para crianças menores de 16 anos, que devem estar acompanhadas por um adulto vacinado”.

Na mesma página, os organizadores esclarecem que, por orientação das autoridades do Estado de Nova York, não serão aceitas vacinas não aprovadas pela FDA – caso da vacina da AstraZeneca.

A agência americana não liberou o uso do imunizante por considerar que os responsáveis por seu desenvolvimento – incluindo a Universidade de Oxford – falharam ao apresentar a totalidade dos dados de pesquisa sobre a vacina. Apesar da falta de aprovação da FDA, laboratórios americanos importaram e produziram milhões de doses da AstraZeneca. Outras vacinas, como a chinesa Coronavac ou a russa Sputnik V não foram distribuídas para os cidadãos americanos.

FONTE: VALOR

Comentarios