Programa do SBT mostra caos e corrupção na saúde do AM

Roberto Cabrini questionou Wilson Lima sobre compra de equipamentos superfaturados ─ Imagem: Reprodução

O jornalista Roberto Cabrini entrou nas UTIs dos hospitais de Manaus e mostrou heróis sem salários há quatro meses salvando vidas. Entrou no gabinete do governador e mostrou Wilson Lima despreparado, nervoso, gaguejando, sem saber sequer os gastos com as ações de combate ao Coronavírus. E, pasmem, reconhecendo que pagou preço quatro vezes superior ao de mercado por respiradores mecânicos que não servem pra tratar pacientes graves em UTIs.

Respirador com vinho – Muito do que mostrou em nível nacional já era de conhecimento público, mas a forma impactou. Cabrini foi ao endereço da empresa que forneceu os equipamentos superfaturados por R$ 2,9 milhões e comprovou que lá funciona uma loja de vinhos e que, só após a denúncia, recebeu uma placa de importadora de produtos hospitalares. Artimanha revelada por um vizinho do local.

Cenário de horrores – O programa revelou imagens chocantes dos contêineres frigoríficos, de corpos abandonados, dos cemitérios, e dos últimos suspiros nas UTIs. Mostrou o hospital de retaguarda da Nilton Lins subutilizado, com apenas três pacientes nas UTIs, e outros poucos em leitos clínicos, onde o Governo só em aluguel está gastando R$ 2,6 milhões por três meses, além de pagar mais R$ 499 mil para uma empresa de segurança, enquanto pacientes morrem do lado de fora do hospital sem atendimento.

Sem rumo e sem direção – O Conexão Repórter, em menos uma hora, mostrou ao Brasil evidências fortes de corrupção no Governo Wilson Lima e que o Amazonas está sem rumo, no momento mais grave de sua história. E mais: um governador que não mostra sentimento de solidariedade aos profissionais que arriscam as próprias vidas mesmo com os salários atrasados, e menos ainda com as centenas de famílias que estão perdendo entes queridos para a Covid-19.

Reação nas redes – Nas redes sociais, a repercussão foi imediata. Memes ridicularizaram a performance de Wilson Lima na entrevista à Roberto Cabrini e pediram o impeachment do governador. Foi, sem sombra de dúvida, o pior momento de Wilson Lima desde que assumiu o Governo em janeiro do ano passado. “Chega! Wilson Lima peça pra sair !!!”, “Fora Wilson Lima” “Impeachment já” foram temas de inúmeras mensagens nas redes sociais.

Denuncia chega ao STJ – A segunda-feira foi trágica para Wilson Lima. Antes de Cabrini entrar em cena, o site O Antagonista informou que o Procurador Geral da República, Augusto Aras, apresentou representação para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizar a investigação contra o governador por compra superfaturada de respiradores mecânicos no valor de R$ 2,9 milhões.

Digitais do governador – A venda do equipamento, segundo O Antagonista, foi realizada pela adega de vinhos Vineria Adega (cuja razão social é FJAP e Cia.) com sobrepreço de 316%. De acordo com apuração do site, a PGR identificou um possível envolvimento de Wilson Lima, no caso.

Impeachment mais perto – Se os deputados estaduais do Amazonas tinham alguma dúvida se devem votar o impeachment do governador Wilson Lima e do vice-governador Carlos Alberto, depois do programa Conexão Repórter e da decisão da PGR, não devem ter mais. O presidente da Aleam, Josué Neto (PRTB) tem a obrigação de aceitar o processo e dar início ao rito da tramitação do impeachment na Casa.

Os motivos – Obrigação pelos amazonenses que já morreram vítimas de Coronavírus, pelas vidas que ainda podem ser salvas e pelos heróis da saúde que estão na linha de frente, abandonados pelo Governo, mas estão firmes salvando vidas. São mais de 400 infectados e 16 mortos.

FONTE: Portal Único

Comentarios