Professores da Seduc ameaçam cruzar os braços na terça (13)

O ato tem como objetivo ‘forçar’ o governo amazonense abrir negociação com a categoria

Professores da Secretaria de Educação do Estado (Seduc) cruzarão os braços em pelo menos 12 municípios do Amazonas, incluindo Manaus, em paralisação de advertência na próxima terça-feira, 13. A ação é do Sindicato dos professores e pedagogos de Manaus (Asprom Sindical), e tem como objetivo ‘forçar’ o governador Amazonino Mendes (PDT) abrir negociação com a categoria.

Segundo o coordenador da Asprom Sindical, Lambert Melo, os professores das escolas estaduais em Manaus, Parintins, Manacapuru, Itacoatiara, Coari, Anori, Codajás, Humaitá, Tabatinga, São Gabriel da Cachoeira, Tefé e Amaturá paralisarão as aulas nos três turnos.

Aqui em Manaus, o ato de desagravo acontece a partir das 7h, em frente à Escola Estadual João de Souza Lima, na Cidade Nova, Zona Norte.

A paralisação de advertência foi decidida em assembleia geral no dia 24 de fevereiro. E tem como objetivo fazer com que o governo do Estado abra diálogo com a categoria para discutir reajuste salarial, de acordo com a Asprom Sindical.

Greve

Ainda conforme Lambert Melo, na próxima quarta-feira, 14, a categoria realizará outra assembleia-geral para decidir por deflagrar greve geral por tempo indeterminado, caso o governo não apresente uma proposta ou não abra diálogo.

A reunião está marcada para às 16h, na sede Federação dos Trabalhadores no Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fetracom/AM).

Audiência Pública

Na quarta-feira, às 11h, no plenário da Assembleia Legislativo do Amazonas (Aleam) acontecerá uma audiência pública dos servidores com autoridades do Estado. Com informações do Amazonas1.

Comentarios

COMPARTILHAR