Prefeitura realiza mostra cultural em inglês e nheengatu em escola da zona ribeirinha

(Foto: Cleomir Santos / Semed)

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou uma mostra cultural utilizando os idiomas inglês e o indígena, nheegatu, dentro do projeto “English For Kids”, na manhã desta sexta-feira, 1º/10, na escola municipal São José I, localizada na comunidade Nossa Senhora do Livramento, Tarumã Mirim, zona ribeirinha. Com o tema “Preservar a cultura é preservar a vida”, a ação reuniu alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, que apresentaram o resultado dos trabalhos pedagógicos.

A programação na escola foi um diálogo em inglês e também em nheengatu, com a utilização de fantoches, sobre o aprendizado dos alunos.  Além do teatro “diálogo bilíngue – aprendendo e preservando”, teve exposição de frutas regionais, de alimentos indígenas e degustação, o “cooking class”, tudo exposto nos dois idiomas.

A assessora pedagógica da Divisão de Ensino Fundamental (DEF) da Semed, Kátia Florêncio, coordenadora do projeto “English For Kids”, afirmou que o trabalho pedagógico realizado pela escola com os alunos da comunidade é muito valoroso.

(Foto: Cleomir Santos / Semed)

“Essa oportunidade de voltar com mostras culturais é único. As crianças falam em inglês e interagem aqui com o público da zona ribeirinha. Nos meses de novembro e dezembro vamos dar continuidade às nossas na zona urbana”, concluiu.

A assessora de linguagem da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Rural da Semed, Larissa Batista dos Santos, enfatizou que foi um momento muito especial ao ver os alunos da zona ribeirinha aprendendo e mostrando seus trabalhos.

“Esse projeto é muito importante, principalmente para as crianças, para a comunidade, porque agrega cultura, linguagem e além disso ele amplia o multiletramento. São diversas formas de áudio, músicas e som aproveitando o regionalismo dessas crianças, o que elas têm da terra, da educação do campo com o internacional, com o inglês e com a língua nheengatu”, completou.

(Foto: Cleomir Santos / Semed)

Para a professora de língua inglesa do projeto na escola, Ana Claudia Fagundes, o trabalho pedagógico tem tido bons resultados com os 60 alunos do projeto do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. Ela disse que 80% são indígenas das etnias baré e tukano.

“Por ser uma escola ribeirinha é de suma importância resgatarmos a cultura deles. A ideia foi trazer o regionalismo para dentro de uma língua estrangeira. Como alguns alunos estudam nheengatu nos Espaços de Estudos da Língua Materna de Conhecimentos Tradicionais, da Semed, que ensinam a cultura indígena e a língua, eu busquei pesquisar e conversar com os alunos”, disse a educadora, que também falou sobre o principal foco da ação.

No projeto desde o começo, a aluna do 4º ano, Elyssa Sabrina Belém de Oliveira e Silva, 9 anos, aprendeu o idioma na escola e já pensa em usar o que sabe, no futuro, quando viajar para outro país.

“O inglês é muito educativo, também quando eu for a outros países vou saber o idioma. Por exemplo, quando eu pedir alguma coisa ou perguntar algo, vou entender o idioma. Não tive muita dificuldade de aprender, porque me dediquei muito em ler, quis isso e também me esforcei”, enfatizou a estudante.

Comentarios