Prefeitura de Manaus promove o lançamento do livro ‘O outro entre nós’

IMAGEM: Divulgação / Manauscult

A Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), promove o lançamento da obra “O outro entre nós” – contendo as peças “A Estrada”, “Flecha Borboleta” e, a ainda inédita nos palcos, “Casa d´água” – do diretor teatral e dramaturgo Douglas Rodrigues, nesta quarta-feira, 27/10, a partir das 19h, na biblioteca municipal João Bosco Pantoja Evangelista, Centro, com entrada gratuita.

Por muitos anos considerado uma máquina de fazer prêmios no Festival de Teatro da Amazônia, conquistando 43, Douglas compila os textos de suas obras encenadas no Brasil e em Portugal, além de outra inédita.

“Essa compilação cênica representa a consolidação em livro do trabalho dramatúrgico do Douglas Rodrigues, ao mesmo tempo em que dará perenidade à sua criação, e principalmente estará mais próxima dos leitores”, assinala o diretor-presidente da Manauscult, Alonso Oliveira, sobre a relevância da obra para a prática teatral em Manaus.

Para o evento, 100 convidados entre associações culturais, órgãos públicos, artistas, jornalistas e personalidades estarão presentes e, na ocasião, assistirão a performances da Associação Cultural Arte e Fato, com artistas que participaram das obras encenadas por Douglas e, também, um pocket-show da cantora Márcia Siqueira.

Criação

A publicação da trilogia “O outro entre nós”, com apresentações de Robério Braga, Sérgio Cardoso e Zeudi Souza, define a relação do artista Douglas Rodrigues na busca incessante da cena contemporânea para suas obras, estimulando construções participativas, colaborativas e artesanais, durante o processo criativo dos próprios espetáculos.

Duas peças dessa trilogia foram várias vezes premiadas, “A estrada” e “Flecha Borboleta”, com temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Portugal, respectivamente. A inédita “Casa d’água” tem convite para virar roteiro de cinema, e já está registrada na Biblioteca Nacional.

Os processos criativos de Douglas, utilizando fatos históricos da Amazônia com os fios condutores de uma escrita contemporânea, o levam a esse lugar de escritor para o teatro. “Esse é o momento de dialogar experiências minhas como encenador fazendo com que esse diálogo como diretor, ator e dramaturgo se concretize de forma tênue, como exercício inevitável para o artista pesquisador, amparando histórias e novas dramaturgias, em busca de uma linguagem pessoal, com o experimento estético que difunde as transformações do homem amazônida, entre as décadas de 50 e 70, de acordo com estudos etnológicos e etnográficos, iniciados na Universidade Federal do Amazonas enquanto acadêmico de Filosofia, anos atrás”, informa.

Trilogia

Escrita em 2014, a obra “A Estrada” é uma tragédia baseada em relatos reais de sobreviventes do massacre na aldeia waimiri-atroari durante a construção da BR–174 (Manaus – Boa Vista) em meio ao regime militar no Brasil. Já o épico da floresta “Flecha Borboleta”, escrita em 2017, é inspirado na ópera “Madame Buterfly”, de Giacomo Puccini, e narra perigosas consequências do amor entre uma índia arqueira e o expedicionário americano, dialogando com o massacre de Haximu, julgado pela justiça brasileira no qual os réus foram condenados por genocídio. Baseado em invasões científicas nas aldeias yanomami, no Norte do Amazonas. Por fim, o drama inédito “Casa d’água” foi escrito para o cinema e conta a história de uma casa, que flutua na enchente histórica do rio Amazonas em 1954, com uma filha, mãe e um homem encurralados pelas paredes frias e molhadas, com relatos e depoimentos de mulheres violentadas, alicerçando a construção do roteiro cinematográfico.

Temas como progresso, barbárie, batalhas entre índios e invasores, violência, alteridade, choques culturais, abusos sexuais e identidade étnica são abordados na trilogia, distanciando o folclore ingênuo do olhar romântico europeu.

O projeto conta com o apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Manauscult, com o Concurso-prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc (Teatro) e da editora Amazônia Et Al. Os interessados em adquirir o livro, podem contactar pelo número de WhatsApp (92) 99331-7090.

Comentarios