Prazo para que Alejandro se entregue a polícia vence às 13h desta segunda-feira

Em nota, os advogados de defesa, Marco Aurélio Choy e Yuri Dantas, disseram que foram notificados da decisão por volta das 13h deste domingo, 6

Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko deverá se entregar até às 13h desta segunda-feira (7), informou um dos advogados dele, Yuri Dantas Barroso. Por meio de nota, assinada por Yuri e Marco Aurélio Choy, eles afirmam que receberam o documento acatando o pedido de prisão domiciliar requerido para Alejandro Valeiko às 13h deste domingo (6) e que o prazo de 24h dado pela desembargadora Joana dos Santos Meirelles vence apenas nesta segunda-feira.

“O pedido foi fundamentado na necessidade de tratamento médico do paciente que, de acordo com laudos médicos, sofre de transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de entorpecentes”, detalha a nota oficial dos advogados. O documento cita ainda que Alejandro “sofre de transtorno esquizofrênico e de personalidade dissocial” e que cumprirá a decisão no prazo determinado pela magistrada.

O prazo inicial, comunicado a imprensa pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, era de que Alejandro teria até às 20h deste domingo (6) para se apresentar na sede da DEHS, que investiga o caso da morte de Flávio Rodrigues. Procurado pela reportagem, Yuri falou que o prazo estipulado vale a partir do momento que os advogados são notificados e que Alejandro não vai se entregar hoje. “Recebemos a intimação hoje, às 13h. Ele tem até esse horário pra se apresentar, amanhã”, afirmou.

Prisão temporária foi convertida

Na noite de sábado (5), a desembargadora Joana dos Santos Meirelles, plantonista do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), acatou o pedido da defesa de Alejandro e converteu o pedido de prisão temporária em prisão domiciliar. A magistrada defende na decisão, que ao decretar a prisão domiciliar, levou em consideração o estado de saúde de Alejandro.

De acordo com laudos apresentados por seus advogados, ele não tem consciência do que se passa e nem do crime que vitimou Flávio Rodrigues, encontrado morto na última segunda-feira (30) em um terreno no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus. O pedido de prisão temporária segue suspenso até que Alejandro seja submetido a uma perícia para que sejam comprovados seus problemas psicológicos.

Por ACRÍTICA

 

Comentarios