Pai é condenado a prisão por deixar filha morrer em carro em chamas

A morte ocorreu durante uma perseguição policial. (Imagem: Reprodução)

Um homem, do estado norte-americano da Carolina do Sul, que deixou a filha de 19 meses morrer em um carro em chamas durante uma perseguição policial foi condenado a 28 anos de prisão, depois de ter se declarado culpado em tribunal.

Imhotep O. Norman foi condenado na terça-feira, de acordo com o escritório do advogado, Barry Barnette, citado pela Associated Press.

Segundo os agentes, em abril de 2019 o homem foi perseguido por dirigir em alta velocidade e após perceber a intervenção da polícia, ele aumentou a velocidade do veículo. Em seguida, os oficiais perceberam que o carro começou a pegar fogo.

Em vez de parar, Norman deu marcha ré por cima do separador da estrada, onde os agentes o forçaram a entrar na faixa da direita. Em seguida, saltou do veículo em chamas e, enquanto fugia, um agente viu-o a atirar uma mochila que continha drogas ilegais.

Os bombeiros encontraram o corpo da filha após apagar o fogo. Xena Norman morreu de queimaduras e envenenamento agudo por monóxido de carbono. O pai, que foi preso horas depois de fugir para a floresta, disse aos investigadores que achava que a polícia a iria resgatar.

Norman, 28, confessou-se culpado de homicídio por negligência infantil, falha em parar ao sinal das autoridades e por várias outras acusações relacionadas com posse de drogas. Terá de cumprir pelo menos 85% da pena antes de poder ser libertado.

 

Comentarios