Operação “Natal seguro” do Inmetro-AM retira de circulação diversos produtos irregulares

© Divulgação/Inmetro-AM

Na manhã desta quarta-feira (5) de dezembro de 2018, os fiscais do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro-AM) visitaram diversos estabelecimentos comercias da área central da cidade, onde recolheram aproximadamente 600 unidades de pisca-pisca que estavam fora do padrão estabelecido pelo do Inmetro.

O Instituto também fiscalizou uma rede de supermercado localizada na avenida Eduardo Ribeiro, zona sul de Manaus, que constatou durante a pesagem 32 amostras de peru, chester, pernil e pato recheado todos abaixo do peso e sem indicação de peso nas embalagens.

A ação faz parte da operação especial “Natal Seguro”, iniciada no dia 12 de novembro, e segue até o dia 14 de dezembro com objetivo de analisar diversos itens natalinos expostos à venda nos comércios da capital e da região metropolitana. Ao todo já foram fiscalizados 15.270 produtos, destes 4.266 estão irregulares. Dentre as principais irregularidades encontradas estão, produtos abaixo do peso, sem a certificação e o selo do Inmetro.

De acordo com o superintendente do Inmetro Amazonas, engenheiro Márcio André Brito, o órgão pretende fiscalizar cerca de 700 estabelecimentos comerciais durante a operação. “Nós iremos fiscalizar os comércios da capital e da região metropolitana de forma preventiva, para eliminar possíveis irregularidades na hora de fazer as compras de fim de ano”, informou o superintendente.

Para garantir que o consumidor faça aquisição dos itens natalinos, com o peso correto, os fiscais do Inmetro Amazonas realizam “in loco” a pesagem dos mesmos. Dos produtos analisados, estão os panetones, frutas cristalizadas, uvas passas, castanhas, nozes, bacalhau, chester e peru.

Além de conferir o peso, também é preciso verificar a qualidade e segurança dos produtos bastante consumidos nesse período. Por isso, os brinquedos, as luminárias e os pisca-piscas também estão na mira do Instituto.

Multa – Em casos de irregularidades, os estabelecimentos serão autuados e as empresas estão sujeitas as penalidades previstas na lei, como multas que podem chegar a 1,5 milhão.

Márcio André orienta ainda, caso o consumidor desconfie de possíveis irregularidades em relação aos produtos fiscalizados, o órgão disponibiliza um canal direto com o consumidor por meio da ouvidoria no telefone 0800 092 2020, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, ou no e-mail: ouvidoriaipem@ipem.am.gov.br.

Comentarios