Mulher mata marido e diz a policiais que deveria ‘ter esfaqueado um pouco mais’

"Eu matei meu marido porque para mim já deu. Eu posso ir lá e esfaqueá-lo novamente", disse Penelope Jackson, de 66 anos. (Imagem: Reprodução)

O caso de uma mulher que confessou ter esfaqueado o marido, que acabou morrendo após ser levado a hospital, chocou o Reino Unido. Pela confissão serena e pelo histórico de abusos que Penelope Jackson, de 66 anos, citou como motivo para o ataque. O crime ocorreu em 13 de fevereiro, mas só recentemente, com o processo seguindo na Justiça, detalhes se tornaram conhecidos.

Agora, a gravação feita por um policial que foi à casa onde Penelope morava com David, de 78 anos, em Berrow (Inglaterra), deu mais detalhes do comportamento da britânica. Em determinado momento da abordagem, ela disse, enquanto o marido agonizava na cozinha:

“Deveria ter esfaqueado um pouco mais.”

“Eu sei que isso está sendo gravado. Mas estou farta de abusos e maldades. Não estou fazendo nada para ajudá-lo”, ela continuou, demonstrando tranquilidade.

Pouco antes, Penelope tinha dito a um atendente do serviço de emergências, recusando-se a ajudar o marido ferido, apesar dos apelos da pessoa na linha:

“Eu matei meu marido porque para mim já deu. Eu posso ir lá e esfaqueá-lo novamente. Estou na sala, ele está na cozinha sangrando até a morte se a sorte ajudar. Ele me ameaçou antes, mas não está me ameaçando agora.”

Penelope e David ficaram casados por 24 anos. As informações são da Agência O Globo.

Comentarios