Massacre em escola de Suzano comemorado na web e assassino chamado de ‘herói’

O massacre deixou dez mortos, incluindo os dois jovens assassinos. | Imagem: Reprodução

Membros de fóruns extremistas na ‘Deep web’ comemoram o ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), na última quarta-feira (13). O Ministério Público vai atuar com o núcleo de investigações cibernéticas do Gaeco para averiguar os contatos mantidos pela internet de Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, e o adolescente G. T. M., de 17, autores do ataque.

De acordo com a reportagem do jornal O Globo, internautas se referiram aos assassinos como heróis.

“Descobriram o perfil do herói”, escreveu um membro do fórum depois que a identidade de Guilherme foi revelada na imprensa. “Toda glória aos heróis”, comentou outro.

Ainda no fórum, outros membros ameaçam fazer ataques em outros lugares e eram incentivados pelos demais frequentadores do Dogolachan.

“Que dia bom para se estar vivo e livre para presenciar tal ato”, escreveu outro membro.

O fórum Dogolachan é considerado o maior grupo de propagação de ódio na internet brasileira e está na chamada “deep web”, um segmento da internet que não pode ser encontrado por buscadores.

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio, afirmou que o Ministério Público não descarta a possibilidade da atuação de uma organização criminosa na tragédia de Suzano, na Grande São Paulo.

Além disso, o jornal O Globo revela que, em outro fórum, o 55chan , os dois jovens que promoveram o ataque também foram tratados como heróis. “Luiz Henrique saiu da vida para entrar para a História”, disse um membro, numa referência à carta deixada por Getúlio Vargas.

“Eu, channer, apoio o massacre nas escolas”, escreveu um. “Mataram pouco”, disse outro.

 

Comentarios