Maduro diz que apagão continua devido a novo ataque cibernético

Em dia de protestos, Guaidó anuncia giro pelo país, e ONG diz que 15 pacientes de hemodiálise morreram. | Foto: Carlos Jasso/Reuters

Em discurso neste sábado (9), o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que um novo “ataque cibernético” impediu o restabelecimento de energia no país.

O apagão que atingiu a Venezuela dura mais de 48 horas e afetou 22 dos 23 estados do país. Segundo informações do observatório de medição Netblocks, 96% da população está sem internet.

No discurso em Caracas, Maduro afirmou que o trabalho de restabelecimento da energia estava em 70%, quando houve o novo ataque. “Hoje, 9 de março, havíamos avançado quase 70%, quando sofremos, ao meio-dia, um novo ataque de caráter cibernético a uma das fontes de geração, que funcionava perfeitamente, o que perturbou e derrubou tudo o que havíamos conseguido”, disse.

De acordo com o ditador, são ataques eletromagnéticos contra as linhas de transmissão da represa de Guri, a maior hidrelétrica do país. O blecaute também afetou o estado de Roraima.

“Espero que o processo de restabelecimento seja definitivo e estável para a maioria dos venezuelanos nas próximas horas. Peço compreensão.”, disse Maduro.

Por FOLHAPRESS

 

Comentarios

COMPARTILHAR