Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Saída de avião do Brasil para país segue prevista para esta sexta. ─ Foto: Divulgação

Haverá atraso na entrega dos dois milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford contra a covid-19 que o Ministério da Saúde afirma ter adquirido do laboratório indiano Serum Institute. A informação foi confirmada pelo Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) na manhã desta sexta-feira (15).

Segundo a pasta, o ministro Ernesto Araújo telefonou para o chanceler indiano Subrahmanyam Jaishankar nessa quinta-feira (14), dia em que o site Hindustan Times publicou uma notícia informando que, segundo fontes do governo indiano não identificadas na matéria, ainda não há previsão de quando a Índia autorizará o fornecimento dos imunizantes a outros países.

De acordo com o Itamaraty, Jaishankar manifestou a intenção de atender ao pedido brasileiro “nos próximos dias”, mas não indicou uma data para que as doses da vacina sejam liberadas.

O chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país, que tem mais de 1,3 bilhão de habitantes, ao fornecimento de imunizantes para outras nações.

Mas, conforme lembrou o Hindustan Times na reportagem, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, disse nesta semana que, devido ao início da vacinação nacional neste sábado (16), era cedo para falar em fornecimento a outros países.

“Você deve se lembrar que o primeiro-ministro [Jaishankar] já disse que a produção e a capacidade de entrega da Índia serão usados para o benefício de toda a humanidade para combater a esta crise, mas o processo de vacinação na Índia está apenas começando. É muito cedo para dar uma resposta específica sobre a destinação para outros países enquanto estivermos analisando nossos cronogramas de produção e entrega. Tomaremos essa decisão no tempo devido”, declarou o porta-voz, segundo o site indiano.

Nessa quinta-feira (14), em videoconferência com prefeitos de todo o Brasil, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, condicionou o começo da vacinação contra a covid-19 no Brasil na próxima quarta-feira (20) à chegada dos 2 milhões de doses da vacina indiana e à aprovação, ainda no próximo domingo (17), dos pedidos de uso emergencial dos imunizantes do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

FONTE: AGÊNCIA BRASIL

Comentarios