Iranduba e Manacapuru ganham nova linha de transmissão vinda de Manaus

Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (16), a Amazonas Energia inaugurou o circuito de cabos aéreos da nova linha de transmissão trifásica de 69 kV, sob a ponte Jornalista Phelippe Daou, que vai atender os municípios de Iranduba e Manacapuru, em substituição aos cabos subaquáticos que vinham sendo utilizados nos últimos anos.

A execução do projeto do novo circuito marca o avanço da concessionária nos últimos seis meses, quando teve início uma nova fase na administração, voltada para modernização e melhorias no parque elétrico visando otimizar gradativamente a oferta de produtos e serviços para população.

A solenidade de inauguração, contou com a presença de autoridades estaduais e municipais, e aconteceu sobre as águas do rio Negro em uma embarcação posicionada próximo a ponte permitindo uma visão do cabeamento instalado em toda extensão da parte inferior do monumento.

Inovação e confiabilidade 

Cerca de 100 trabalhadores divididos em quatro equipes simultâneas atuaram das 07h às 18h de domingo a domingo, para executar os serviços de implantação das estruturas tubulares e de concreto, lançamento dos cabos condutores, assim como três cadeias de isoladores.

As obras de instalação do circuito de cabos aéreos trifásicos de 69 kV, iniciaram no dia 8 de agosto e levaram pouco mais de dois meses para serem concluídas. O investimento da Amazonas Energia foi de R$ 9 milhões para implementar uma extensão de 15 km de cabeamento e substituir o sistema de cabos subaquáticos danificados em julho deste ano, além de aplicar aproximadamente R$ 28,5 milhões na instalação de 80 grupos geradores que atenderam emergencialmente os municípios de Iranduba e Manacapuru, sendo 51 unidades na Usina Termelétrica (UTE) de Iranduba, com capacidade para geração de 40 MW, e 29 máquinas na UTE de Manacapuru que irão gerar 25 MW, totalizando 65 MW para os dois municípios. Juntos os sistemas elétricos de Iranduba e Manacapuru requerem uma potência de 45 MW aproximadamente e a capacidade de geração instalada oferece uma reserva técnica de 20 MW, o que corresponde a 31% de geração.

De acordo com o Diretor-Presidente Tarcísio Rosa, esta linha de transmissão tem o objetivo de assegurar maior confiabilidade no atendimento aos municípios de Iranduba e Manacapuru. “Todo esse processo inovador no Estado do Amazonas possibilitará uma economia muito importante no consumo de combustível para o atendimento àqueles dois municípios”, assegurou.

Ações corretivas

Com a realização do projeto, a Amazonas Energia efetiva as ações corretivas e aumenta a confiabilidade em resolução ao transtorno ocorrido no dia 19 de julho quando foi identificado um curto-circuito no cabo subaquático, há 53 metros de profundidade no Rio Negro.

Durante o ocorrido, a empresa adotou todas as medidas necessárias emergenciais para restabelecer o fornecimento de energia nos municípios de Iranduba e Manacapuru. No dia 20 de julho, as duas cidades já estavam sendo atendidas parcialmente, e com a instalação de grupos geradores, o fornecimento de energia foi normalizando gradativamente até alcançar 100% de funcionamento no dia 26 de julho.

Melhoria Contínua

Desde o mês de abril a Amazonas Energia passou a integrar o consórcio Oliveira/Atem, e vem implementando um novo modelo de gestão voltado para a melhoria contínua dos seus sistemas, com foco em inovação, confiabilidade, segurança e sustentabilidade, na busca pela excelência dos processos.

Com essas ações a empresa reafirma o compromisso com os 62 municípios do Estado e os aproximadamente 900 mil clientes, de assegurar o fornecimento de energia e garantir mais qualidade de vida e bem-estar a população do Amazonas.

“Temos trabalhado incansavelmente para corrigir eventuais falhas em todo a distribuição de energia no Estado, através da manutenção e troca de equipamentos que há anos não recebiam atenção a necessária”, afirmou Tarcísio Rosas.

 

Comentarios