Filha do piloto de Marília Mendonça vai processar companhia de energia

Vitória Medeiros confirmou que processo será movido por causa da suposta falta de sinalização em torre de transmissão

Vitória Medeiros, filha do piloto Geraldo Martins de Medeiros Júnior, revelou que vai processar a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais).

Geraldo conduzia o avião que levava a cantora Marília Mendonça até a cidade de Caratinga, onde aconteceu o acidente que matou a artista, o produtor Henrique Ribeiro, Abicieli Dias Filho, assessor e tio de Marília, o próprio piloto e também o copiloto Tarciso Pessoa Viana.

Nas redes sociais, Vitória falou sobre sua decisão e explicou que o motivo seria a suposta falta de sinalização na torre de transmissão da Cemig com a qual o avião se chocou antes de cair: “Sobre esse processo, eu só tenho uma coisa a falar, por ora. Se tivesse essa sinalização, tudo poderia ser diferente”.

A jovem ainda disse que pensa que o processo pode evitar outras tragédias: “Isso vai ser importante também agora para proteger a vida de outras pessoas, caso haja uma emergência”.

A Cemig divulgou uma nota oficial sobre o assunto após o acidente: “A sinalização por meio de esferas na cor laranja é exigida para torres em situações específicas, entre elas estar dentro de uma zona de proteção de aeródromos, o que não é o caso da torre que teve seu cabo atingido”.

“As investigações das autoridades competentes irão esclarecer as causas do acidente. A Companhia mais uma vez lamenta esse trágico acidente e se solidariza com parentes e amigos das vítimas”, diz a declaração da empresa. Leia a nota completa abaixo.

Após ganhar um grande número de seguidores, Vitória explicou que pretende continuar falando sobre o pai sempre que puder: “Garanto que a memória do meu pai estará viva aqui todos os dias, porque vocês não têm noção. Meu pai era a melhor pessoa deste planeta Terra. Era meu melhor amigo, meu confidente, me apoiava em tudo”.

Ela ainda comentou os ataques que recebe de pessoas que culpam seu pai pelo acidente: “Muita gente veio me dar apoio e está sendo incrível. Tem mensagem de ódio? Tem, mas eu já entendi que essas pessoas não têm empatia, rola um probleminha com o coração delas. Desejo luz e muita cura para elas”.

Confira abaixo a nota completa divulgada pela Cemig:

A Cemig esclarece que a Linha de Distribuição atingida pela aeronave prefixo PT-ONJ, no trágico acidente de ontem, está fora da zona de proteção do Aeródromo de Caratinga, nos termos de Portaria específica do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), do Comando da Aeronáutica Brasileiro (como mostra imagem já divulgada pela Cemig).

Reiteramos que a Cemig segue rigorosamente as Normas Técnicas Brasileiras e a regulamentação em vigor em todos os seus projetos.

A sinalização por meio de esferas na cor laranja é exigida para torres em situações específicas, entre elas estar dentro de uma zona de proteção de aeródromos, o que não é o caso da torre que teve seu cabo atingido.

As investigações das autoridades competentes irão esclarecer as causas do acidente. A Companhia mais uma vez lamenta esse trágico acidente e se solidariza com parentes e amigos das vítimas.

fonte: R7

 

Comentarios