Em Manicoré, criança entra no hospital com braço quebrado e sai morta

Família denunciou o caso como negligência médica, (Imagem: Arquivo pessoal/Sandy Freitas Costa)

Os familiares do pequeno anjo Saimon Gabriel Freitas Neri da Costa, de apenas 6 anos, denunciaram na tarde desta quarta-feira (24), o falecimento da criança no Hospital Hamilton Cidade, no município de Manicoré, no Amazonas, por negligência médica.

De acordo com a mãe da vítima, Sandy Freitas da Costa, o menino chegou na unidade médica após sofrer um acidente de motocicleta no dia 18 desde mês, junto com o pai Jailson Meirelles Coutinho. O menino fraturou o braço, mas saiu da unidade morto.

Ainda conforme a mãe, a criança deveria ter sido transferida para Manaus, mas, isso não aconteceu. Segundo ela, o médico decidiu tratar o braço de Saimon por conta própria.

“Ele aplicou três anestesias, mas como não fez efeito, ele aplicou a 4ª, só que dessa vez anestesia geral. Aquele doutor tirou o meu filho sem a nossa autorização, sem a nossa permissão, foram logo entrando com uma maca para onde estava o leito dele, ele estava descansando e foram botando em cima da maca. Foi quando eu pequei, saí do local onde estava, pegando uma água e me explicaram que tinham que ajeitar o bracinho dele”, revelou a senhora enlutada, ainda relatando que o médico estava assistindo vídeo no YouTube para aprender como se aplicar anestesia em pacientes.

“Ele nem perguntou se meu filho tinha comido, ou de barriga cheia. Onde já se viu, 9h da noite, vim pegar o meu filho pra matarem! Só Deus pra ter misericórdia da minha vida. O meu filho morreu nos meus braços. Eu falei filho é rapidinho, eles só vão engessar teus braços, é rapidinho e a gente já volta. Foi quando ele confiou e eu também. Porque eu não trabalho em medicina e não sei nada disso. Ele falou que ia botar uma pequena anestesia, sendo que quando a gente entrou lá, na hora e pegaram e botaram, eles estavam assistindo YouTube. Só que eles não queriam me mostrar entre si como que se preparavam. Quando eu olhei, por cima, eu vi que eles estavam estudando como médicos pelo YouTube como que se botava uma anestesia. Eu falei, Senhor tenha misericórdia. O que vão fazer com meu filho, Senhor? Foi quando ele pegou e aplicou as injeções. Ele falava bem assim – Meu Deus mais com que não está pegando anestesia nesse menino – foi quando ele botou a quarta anestesia nele. Ele aplicou pra gotear forte o soro no meu filho. E ali naquele momento, a pulsão dele começou a acelerar, e os pés dele começaram a ficar muito brancos e ele nem ligou”.

Saimon morreu em seguida. “Mataram meu filho! Ele estava bem, só tinha fraturado o braço.”, desabafou aí lembrar que pequeno a deixou no dia 20.

“Colocaram no atestado de óbito que ele morreu vítima de parada cardíaca, mas isso foi consequência do procedimento feito pelo médico. Eu quero justiça!”, pediu a mãe em desespero.

O caso foi registrado no 72° Distrito Integrado de Polícia (DIP) e segue em investigação por parte da Polícia Civil.

FONTE: REPÓRTER MANAÓS

Comentarios