Coreia investiga mãe que salvou filhos de incêndio e deixou retratos de líderes

Líderes falecidos da Coreia do Norte, Kim Il-sung e Kim Jong-il ─ Foto: PEDRO UGARTE / AFP

Uma norte-coreana cuja casa pegou fogo está sendo investigada por não ter salvo os retrados dos dois líderes do país já falecidos, Kim Il Sung e Kim Jong Il, que os moradores são obrigados a cultuar. Embora ela tenha tido a heroica atitude de resgatar seus dois filhos pequenos, seu feito não é reconhecido como tal, e a suspeita não teve permissão para cuidar das crianças no hospital até o término das investigações pelo delito de ofensa política.

O incêndio ocorreu no final de dezembro no condado de Onsong, na província de Hamgyong do Norte. A investigação está a cargo do Ministério da Segurança do Estado.

De acordo com o portal “Daily NK”, que publica notícias sobre a Coreia do Norte, mas tem sede na Coreia do Sul, a mulher, que não teve a identidade revelada, está sendo tratada como suspeita por não ter voltado para a casa em chamas e pegar os quadros depois de ter retirado as crianças do local.

Os filhos delas estavam sozinhos dentro da residência, que era compartilhada com outra família. Embora a segunda mãe também não tenha prestado atenção nas imagens dos ex-líderes, um agricultor, que deixou a prisão recentemente por um ato violento, correu para o interior do imóvel e lhe fez esse favor. Agora ele é considerado herói pelo estado, e a família dos quadros que ele salvou não é alvo da investigação, segundo fontes do “Daily NK”.

FONTE: EXTRA

 

Comentarios