CMM discute possível retorno das atividades do comércio em Manaus no mês de junho

Foto: Robervaldo Rocha/CMM

Durante sessão virtual da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Marcelo Serafim (PSB) fez uma uma explanação sobre os dados de outros países que estão vencendo a pandemia do coronavírus e voltando a sua normalidade.

De acordo com o parlamentar, alguns países como França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido tiveram seus picos da doença de três a quatro semanas, tendo uma relativa queda no número de casos, o que proporcionou a abertura gradual das atividades.

Marcelo Serafim explicou que as curvas de Manaus são semelhantes, o que aponta para uma possível volta das atividades do comércio. “As curvas de Manaus estão iguais a de países como Itália, Espanha e França. Eles estão cerca de quatro semanas epidemiológicas na nossa frente e hoje, entendo como seguro iniciarmos essa reabertura do comércio de forma gradual e responsável. Vamos ter a oportunidade de vermos com quatro semanas de antecedência o que vai acontecer nesses países e se houverem novos picos por lá, teremos tempo de mudarmos as estratégias em Manaus”, explicou.

A possível volta do comércio foi defendida pela maioria dos vereadores, como Elias Emanuel (PSDB) que também pediu o retorno das atividades em plenário na Câmara. “O comércio tem que voltar a sua normalidade, é claro que seguindo todas as recomendações de saúde, também defendo a nossa volta presencial ao plenário da Câmara, precisamos estudar essa volta já para esse começo do mês de junho, também seguindo todas as orientações possíveis”, enfatizou.

Para o vereador Raulzinho (PSDB) é preciso que os comerciantes sejam liberados, visto que muitos estão sem nenhuma renda e precisam trabalhar para ter o sustento de suas famílias. “É algo extremamente necessário, muitos pais de família estão sem nenhum recurso, dependem do seu trabalho e, portanto, essa volta às atividades do comércio é essencial”, disse.

Na opinião do vereador Isaac Tayah (DC) a abertura do comércio é uma preocupação de todos. Ele defende a criação de uma comissão para acompanhar essa reabertura. “É preciso acompanhar essa reabertura para não corrermos nenhum risco. Não podemos esquecer que Manaus é uma das poucas cidades que ainda tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que é preciso todo cuidado para que essa doença não se espalhe em alta velocidade novamente, para que não tenhamos um novo colapso no sistema de saúde do estado”.

Mesma opinião do vereador Gedeão Amorim (MDB) que também defende a criação de um comitê de prefeitos para acompanhar essa reabertura. “É uma preocupação que devemos ter, o interior do Estado está com um alto índice de infectados, por isso, é necessário criar um comitê para acompanhar esse processo no Amazonas”, defendeu o parlamentar.

Comentarios