Cabral afirma ter comprado votos para Olimpíada de 2016

Ex-prefeito do Rio Eduardo Paes afirma que não participou de nenhum esquema.

Nesta quinta-feira, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral afirmou que comprou votos de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), para que a edição da Olimpíada de 2016 fosse sediada no Rio. A confissão foi feita ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, em depoimento para a operação Lava Jato.

O ex-governador ainda afirmou que o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Michel Temer sabiam de todo o trâmite. Em nota, Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio de Janeiro, afirmou que não participou de nenhum esquema e que não sabia da compra de votos.

Segundo Cabral, o presidente do COI, Carlos Arthur Nuzman, indicou o presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), Lamine Diack, para servir de intermediário das transações.

“Eu não sabia qual seria a repercussão de um núcleo europeizado muito forte (na votação). Nessa natureza, o Nuzman vira pra mim e me fala: ‘Sérgio, quero te abrir que o presidente da IAAF, lamine Diack, ele é uma pessoa que se abre pra vantagens indevidas”, disse o ex-governador em depoimento.

Ele confirmou que nove dos 95 membros do COI foram comprados por US$ 2 milhões, e o depósito teria sido feito em 2008, pelo o empresário Arthur Soares, conhecido como Rei Arthur, em uma conta no exterior.

Comentarios