Ataque suicida mata 39 pessoas em mesquita xiita no leste do Afeganistão

Terroristas se disfarçaram de mulheres, usando burcas, para invadir templo de orações; Talibã negou envolvimento © Farid Zahir/AFP

Um ataque suicida contra uma mesquita xiita situada no leste do Afeganistão deixou 39 mortos e 80 feridos nesta sexta-feira (3), informaram autoridades do governo e da polícia.

Disfarçados de mulheres, dois homens invadiram a mesquita Khawaja Hassan, que fica em Gardez, na província de Paktia, perto da fronteira paquistanesa. Segundo as autoridades locais, eles abriram fogo contra os fiéis antes de detonarem seus explosivos.

“Eram homens que usavam burcas para esconder os explosivos e as armas automáticas sob a roupa”, informou o delegado da província de Paktia, general Raz Mohammad Mandozai.

O atentado aconteceu no início da oração, pouco depois das 13h30 (6h, horário de Brasília).

Esta não é a primeira vez que autores de atentados usam burcas durante atentados, aproveitando-se do fato de que as mulheres raramente são revistadas.

As operações de socorro e de retirada dos escombros continuam. O entorno da mesquita foi totalmente cercado pela polícia.

Responsáveis

O atentado ainda não foi reivindicado. Por meio de um porta-voz, o Talibã disse rapidamente “não ter nada a ver” com o massacre, apontando, mais uma vez, para o grupo Estado Islâmico.

Há dois anos a minoria xiita do Afeganistão tem sido alvo de ataques atribuídos aos extremistas do EI. Em julho, os talibãs anunciaram que não farão mais operações na zona urbana, se houver o risco de atingir civis.

Enquanto isso, o EI multiplica seus ataques. Mais de 150 membros do EI se entregaram às forças afegãs no início da semana na província de Jawzjan, no norte do país.

A província montanhosa de Paktia, de maioria pashtun e tribal, é um território de difícil acesso. Fica na fronteira com zonas tribais do Paquistão, de onde vêm e vão talibãs.

Fonte: EFE e Reuters

Comentarios