Amazonas não terá prioridade no programa de vacinação da Covid-19, diz Pazuello

Ele pediu que prefeitos comecem a preparar estrutura para início da vacinação ─ Imagem: Reprodução

Todos os estados brasileiros irão receber simultaneamente a vacinação contra a Covid-19. A declaração foi feita pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante visita a Manaus, na manhã desta segunda-feira (11). Sem especificar datas de início da vacinação, o ministro declarou que “a prioridade é o Brasil todo”, e que o programa de vacinação brasileiro “será o maior do mundo”.

Ele ignorou o pedido de prioridade do prefeito David Almeida. “Todos os lugares são prioridade”. Ele disse ainda que, se depender do presidente Jair Bolsonaro, a vacina não será obrigatória.

Durante seu discurso, o ministro minimizou fortemente o ritmo de vacinação no mundo e disse que, se somadas todas as vacinas aplicadas em todos os países até agora, não daria para vacina a cidade de São Paulo.

“Somando todas as vacinas sendo aplicadas no mundo corresponde a cidade de São Paulo. O nosso plano de vacinação a covid-19 será o maior plano do mundo. O governo brasileiro já está adaptado para dar início. Não estamos atrasados. Eu falo três períodos de vacinação. Curto agora pelo dia 20 de janeiro. O médio de 20 de janeiro a 10 de fevereiro. E no mais tardar 10 de fevereiro até início de março. Todos os Estados começarão simultaneamente a imunização”, frisou Pazuello.

Ele pediu que a partir de agora os prefeitos façam o “checklist” para o início da vacinação, preparando salas de vacinação, geladeiras e funcionamento das Unidades Básicas de Saúde. “O Ministério vai estar em Manaus com o que o Governo e as prefeituras precisarem pelo tempo que for necessário”. (A Crítica)

Comentarios