Corpo de mulher é encontrado em área de mata, na zona Norte

Conforme a perícia, o corpo estava ensanguentado e apresentava sinais de tortura. | Foto: Daniel Landazuri

Nua e com várias perfurações de arma branca pelo corpo – possivelmente facadas – Andressa Nayara Pimentel, de 22 anos, foi encontrada morta, na manhã deste domingo (4). O corpo estava em uma área de mata, localizada na comunidade José Bonifácio, bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte de Manaus.

De acordo com moradores da área, o corpo foi localizado por volta das 10h, por um grupo de jovens de uma igreja evangélica que fazia trilha na região.

Segundo peritos do Departimento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), a jovem apresentava várias perfurações de arma branca no pescoço e nas mãos. As evidências indicam que Andressa foi torturada pelos assassinos. Um absorvente e as roupas masculinas foram encontrados espalhados pelo terreno.

Apesar da jovem ter sido encontrada nua, a pericia não identificou, no local do crime, nenhum sinal estupro. Porém, a equipe do DPTC não descarta as possibilidades dela ter sido violentada sexualmente.

Nua e com varias facadas, mulher é encontrada morta na Zona Norte

Posted by Portal Em Tempo on Sunday, August 4, 2019

“Tinha muito sangue pelo corpo da vítima, mas somente o resultado do exame de necrópsia, realizado no Instituto Médico Legal (IML), deve apontar a quantidades de facadas que ela foi atingida e também se sofreu algum tipo de abuso sexual”, informou um perito.

Segundo a Polícia Civil, familiares e amigos fizeram o reconhecimento da jovem ainda no local do crime. Eles informaram que Andressa já havia morado no bairro e que era muito conhecida. Ainda segundo a família, a vítima era homossexual e usuária de drogas.

Ainda conforme informações de familiares, a jovem havia saído de casa por volta das 15h do sábado (3). A suspeita é que ela tenha sido vítima de um acerto de contas.

“Alguns familiares relataram que ela comprava entorpecentes com frequência e  costumava acumular dívidas em bocas de fumo do bairro”, disse um investigador da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso.

Por EM TEMPO

 

Comentarios